Arquivo da categoria: Memória

Por que amar Regina Duarte e seus 50 anos de carreira

Regina Duarte completa 50 anos de carreira como uma das atrizes mais emblemáticas do país. Namoradinha do Brasil, título que nenhuma outra será capaz de roubar, principalmente nos dias de hoje, ela é amada por uns e odiada por outros. Quem gosta de novela, sabe que Regina é mais do que uma intérprete, ele é um símbolo da televisão brasileira. Um símbolo com o que ele tem de melhor: talento, carisma e garra. Uma atriz como poucas. Não é à toa que é Regina Duarte.

Saiba por que amar a atriz:

Ela sofre no chão como ninguém – Helena, Por Amor, 1998.

Faz uma mulher do povo com a maior naturalidade – Raquel, Vale Tudo, 1988

Tem as melhores brigas das novelas – Helena, História de Amor, 1995

Tem os melhores pares e as cenas mais românticas da teledramaturgia – Cecília, Carinhoso, 1974

É uma atriz superior a qualquer constrangimento – Luana, Sétimo Sentido, 1982


Sabe deixar as cenas ainda mais tensas do que já são – Maria do Carmo, Rainha da Sucata, 1990

E mais 44 motivos…

Parabéns, Regina Duarte!

Semana homenageia centenário de Jorge Amado

O escritor Jorge Amado chegaria essa semana aos 100, e diversas comemorações acontecem no país desde o ano passado. O mais baiano de nossos escritores foi também o que melhor retratou sua terra, com personagens que alguns podem até achar caricatos, mas não negam que povoam o imaginário brasileiro.

Entra inúmeras homenagens estão a exposição Jorge, amado e universal no Museu de Arte da Bahia; o lançamento do livro Jorge & Zélia, correspondência inédita, organizado por João Jorge Amado e a novela Gabriela, exibida pela Rede Globo, às 23h. Mais informações, no site oficial do centenário: http://centenariojorgeamado.com.br/.

Para homenageá-lo, separei algumas de minhas cenas preferidas daquela que considero a melhor adaptação de uma obra literária para a TV: Tieta. Aguinaldo Silva conseguiu captar o melhor da história de Jorge Amado, manteve o espírito da obra do baiano, mas acabou construindo um produto completamente novo.

Confira:

A morte de Zé Esteves

Tonha retorna transformada

O romance de Tieta e Ricardo nas dunas

O exorcismo de Perpétua

Tieta se despede do Agreste

Congelamento de Avenida Brasil entra para galeria de finais com efeitos

Há muito tempo um recurso de final de capítulo de novela não era tão comentado quanto o de Avenida Brasil. Aliás, é difícil lembrar de um efeito com tanta repercussão quanto os congelamentos que encerram todos os dias a novela das nove. Na semana passada, Zezé (Cacau Protásio) foi congelada, surpreendendo e dando fim ao quase monopólio de Nina (Débora Falabella) e Carminha (Adriana Esteves), o que fez o assunto dominar as redes sociais.

Avenida Brasil, porém, está longe de ser a primeira novela a utilizar um efeito para marcar o fim de capítulo. Jorge Fernando é o diretor que mais gosta de “enfeitar” o último take das histórias que dirige. Os capítulos de Vamp acabavam em forma de desenho; em A Próxima Vítima, o personagem virava um alvo e tinha sua imagem quebrada e em Vira Lata a língua do cachorro Zé invadia a tela.

Confira alguns encerramentos com detalhes especiais:

O congelamento simples de Andando nas Nuvens

O desenho de Vamp

Vale Tudo, na qual as cenas do próximo capítulo ainda eram utilizadas

O sugestivo encerramento de A Próxima Vítima

A pintura de Pedra Sobre Pedra

A fotografia de Celebridade